Bodyboard_apresentação

O antepassado do Bodyboard é contemporâneo das antigas pranchas de Surf. O seu nome era Paipo, tal como se pode observar no filme Rapa Nui e num passado recente já numa versão moderna pode ser observado no filme Endless Summer original onde aparece uma prancha denominada Bellyboard.

O que de concreto se sabe é que em 9 de Julho de 1971, Tom Morey na sequência de diversas tentativas com formas e materiais diversos resolveu cortar um bloco de espuma com uma faca eléctrica. Depois modelou a espuma utilizando como protecção da mesma papel de jornal. Deu-lhe uma forma rectangular e inventando, ao contrário das pranchas utilizadas até então, um nose quadrado bem como rails com ângulo de 45º.

A prancha de bodyboard revelou-se então extremamente manobrável, lúdica, segura, barata e de transporte fácil.

O Bodyboard (o desporto) tem hoje uma adesão espantosa em todo o mundo. Existem mesmo mais bodyboarders do que surfistas. É um desporto com manobras aéreas incríveis e acrobáticas, uma vez que estamos agarrados à prancha como que deixamos de estar sujeitos ás leis da gravidade. É como surf a três dimensões. É um desporto muito exigente a nível físico (principalmente ao nível da coluna – zona lombar, abdominais e bicep crural), em plena evolução com manobras cada vez mais espectaculares.

Na Madeira e particularmente em Machico a modalidade tem crescido bastante,  graças às boas condições de ondas e temperatura, assim como ao potencial dos atletas o Ludens.

 

 

Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin