LUDENS NA PRIMEIRA PROVA DO CAMPEONATO NACIONAL DE PARAPENTE

Apesar de as condições de tempo não terem sido as melhores, permitindo apenas a realização de uma manga, a primeira prova do campeonato nacional de parapente realizada na passada semana em Freixo de Espada à Cinta terminou da melhor maneira para os pilotos representantes dos clubes da Madeira.

Nos primeiros 3 dias da prova a chuva e o vento não deram tréguas aos pilotos mas nem por isso deixaram de ser proveitosos. No primeiro dia foi efectuada uma ronda pelas muitas descolagens de Freixo de Espada à Cinta, todas elas com vistas soberbas para as montanhas e vales sobranceiros ao Douro Internacional.

Na primeira delas, virada a Leste, três pilotos da Madeira (Evandro Amaro, Justino Nóbrega e Nuno Caçador), apoiados pelo Paulo Branco, ousaram mesmo descolar, tendo sido os únicos pilotos a sobrevoar com as suas asas o magnífico vale do Douro naquele dia, aterrando mesmo a tempo de evitar apanhar com uma valente queda de granizo.

De seguida, já no mítico Penedo Durão, os pilotos deslocaram-se para as descolagens viradas ao quadrante sul, tendo a visita terminado na descolagem Norte.

No segundo dia a chuva não desarmou e o grupo de pilotos da Madeira acompanhados de alguns pilotos do Clube de Montanhismo da Arrábida (zona da Grande Lisboa) aproveitaram para conhecer as cercanias fazendo uma incursão por terras de Espanha. Para além do planalto no qual estavam sinalizadas algumas das balizas previstas para as provas no Freixo, visitaram os vales nos quais correm afluentes do Douro, mais concretamente o Rio Camaces e o Rio Huebra. Em todo o percurso a presença dos imponentes abutres foi uma constante, como que a vigiarem os nossos passos. O passeio teve um ponto alto na magnífica paisagem de Barca D'Alva, local onde o Rio Águeda desagua no Douro e de onde partem cruzeiros que percorrem o Douro até à sua foz no Porto.

No terceiro dia o vento forte tomou o lugar da chuva neste inverno do nosso descontentamento. Os pilotos deslocaram-se para a Serra de Bornes em Macedo de Cavaleiros mas o vento, apesar de soprar da direcção certa, tinha uma intensidade proibitiva, permanecendo na casa dos 40-50kms por hora.

No último dia as condições climatéricas deram, finalmente, uma alegria aos pilotos tendo sido realizada uma manga com cerca de 50Kms entre Torre de Moncorvo e Almeida. Na zona da descolagem os pilotos tiveram alguma dificuldade em subir, dado o tecto de voo estar relativamente baixo e as condições da térmica não serem as melhores. Não obstante, os mais ousados e persistentes partiram para o “start” tendo 23 deles, entre os quais vários atletas da Madeira, alcançado o golo.

O Ludens Clube de Machico este presente com o atleta Henrique Baptista que ficou na 48ª posição. Em termos colectivos, o Ludens ficou-se pela 21ª posição.

A 2ª Prova do Campeonato Nacional está agendada para os dias 10, 11, 12 e 13 de Junho, em Mirandela, onde representarão o Clube os atletas Henrique Baptista, a campeã  regional Susana Nóbrega e Renato Nóbrega. Destaca-se que a restante delegação madeirense à prova de Mirandela será composta por cerca de 10-12 atletas.

Precedendo a 2ª prova, os representantes do Ludens irão integrar um estágio de voo em Térmica, distância XC, organizado pela Associação de Voo Livre da Madeira, em Pedro Bernardo – Região de Madrid – Espanha.

 É objectivo principal do estágio o voo em térmica forte e a realização de distância, com um máximo de 50km.

Não deixem de acompanhar ambos os eventos no site do Ludens.

Em breve, informações sobre curso de iniciação ao parapente numa parceria Escola de Parapente do Ludens e Associação de Voo Livre da Madeira

Vídeos do Evento:

 http://www.youtube.com/watch?v=Vs0DLe0YFbU&feature=player_embedded

http://jn.sapo.pt/multimedia/video.aspx?content_id=1572126



 

 

 

Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin